Se for desonesto, não tente!

Dan Ariely é imperativo: todos nós somos desonestos. A questão é que nosso comportamento tem duas grandes motivações: por um lado, queremos nos enxergar como pessoas honestas e honradas, por outro, tanto quanto possível, queremos atender aos nossos interesses. Através dos resultados de suas pesquisas e de suas experiências pessoais, Ariely analisa atitudes antiéticas nas esferas pessoal, profissional e política, e mostra como esses comportamentos afetam a todos, mesmo quando acreditamos ser possuidores de altos padrões morais. Ele nos encoraja a lançar um olhar mais honesto sobre nossas ações, mostrando que a desonestidade está em toda a parte e que esse é um comportamento muitas vezes irracional, porém inerente à condição humana. Além disso, identifica o que nos mantém honestos, apontando, ainda, o caminho para pequenas mudanças que podemos fazer para que sejamos, em face de nossas limitações, mais éticos.

Screenshot_2017-04-12-14-16-10 - Copia

Visão de futuro da Polícia Federal

“Tornar a Polícia Federal uma referência mundial em segurança pública para, no cumprimento de suas atribuições, garantir a manutenção da lei e da ordem interna e externa, em cooperação com os estados soberanos, com valores fundamentais da dignidade humana.”

Atribuições da PF:

  • Exercer as funções de polícia marítima, aeroportuária e de fronteiras.
  • Exercer, com exclusividade, as funções de polícia judiciária da União.
  • Ser a representante exclusiva da Interpol no Brasil.
  • Repressão ao desvio de recursos públicos.
  • Combate ao terrorismo.
  • Prevenir e reprimir os crimes cibernéticos.
  • Combate à pedofilia.
  • Implantar e manter o banco de dados de perfis genéticos de criminosos.
  • Investigar e reprimir os crimes políticos.
  • Investigar e reprimir o crime de lavagem de dinheiro.
  • entre outras.

comparativo

Uma das principais características de um servidor público deve ser a honestidade, o livro a seguir demonstra os diversos fatores que afetam a honestidade.

Por que é importante ler este livro?

Ao compreender cientificamente como a nossa mente funciona, atos rotineiros de desonestidade podem ser bloqueados, podemos ajustar nossos padrões mentais, mas antes precisamos ter consciência das variáveis que afetam esses padrões.

Por exemplo, ao compreender quais variáveis influenciam a performance de um carro de F1, os engenheiros conseguem projetar um carro cada vez melhor.

Exatamente assim funciona com a desonestidade.

Ao compreender que a criatividade, a inteligência, o aborrecimento momentâneo, entre outros fatores, podem ser variáveis que aumentam ou diminuem o grau de desonestidade, conseguimos nos blindar, regulando nosso padrão mental. Sem autoenganações inconscientes.

O livro descreve diversos experimentos científicos conduzidos pelo professor Dan Ariely.

Dan Ariely é professor de Psicologia e Economia Comportamental. É PhD em Psicologia Cognitiva e em Administração.

O grau de honestidade da sociedade pode mudar o país, como se observa nos dois vídeos a seguir.

O primeiro é um teste de honestidade feito no japão (pegadinha), repare que as vítimas agiram por instinto, como se os padrões mentais de toda a sociedade estivessem regulados. É cultural.

O segundo vídeo é uma pegadinha testando a honestidade dos brasileiros.

Segue abaixo um texto escrito por Conrado Adolpho:

Aí você entra em uma grande empresa – que atue nas áreas de engenharia e infraestrutura, por exemplo – e vê que existem algumas coisas estranhas acontecendo nos bastidores.
Mas, não é com você… Depois, você comenta com um colega que ouviu falar de algo que soou um pouco fora dos padrões.
Você se sente um pouco desconfortável, mas se acostuma e começa a achar normal. Afinal, você é um homem honesto e cumpridor de todos os seus deveres (tirando um imposto ou outro). Pouco tempo depois você se vê em uma situação que para você já é “normal” e que você precisa se envolver um pouco mais do que “só ficar sabendo”. Parece que está tudo bem e você até ganha um dinheirinho a mais no final do processo.

Você recebe um bom “agrado”. Seu líder fica feliz e parece que todos estão bem.
Você sobe na hierarquia da empresa.
Sua família fica feliz.

As transações vão ficando cada vez maiores e os agrados também.
Você se sente um pouco incomodado no início, mas depois tudo se ajeita.
O ser humano se acostuma a tudo quando começa a ser permissivo.

Você chega a dizer que não vai mais fazer isso. Está meio arriscado. Mas você já está muito envolvido…e o dinheiro da próxima vez é ainda maior.
Um dia, você descobre que um dos herdeiros da empresa foi preso em uma operação da polícia federal e que para a investigação chegar até você é só uma questão de tempo.

Vale a pena?

Pense bem onde você coloca sua credibilidade. Ela é de fato a única coisa que você tem. Todo o resto podem levar de você.

Seu nome é sua garantia!

16473694_1411483605552528_1388059643833823086_n

Comentários